O homenageado

 

  Prof. Dr. Luiz Fernando Pegoraro

A 53ª Turma de Odontologia da Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo (FOB-USP), com imensa satisfação, orgulho e carinho, apresenta o Prof. Dr. Luiz Fernando Pegoraro como nome de honra do 30o Congresso Odontológico de Bauru.

O homenageado, formado pela FOB-USP, contribui para o crescimento e aperfeiçoamento da ciência e dos profissionais da área da Saúde, como um dos maiores nomes da Odontologia Latina na área de Reabilitação Oral. Em 1974,  ingressou a convite na carreira docente no Departamento de Prótese e Periodontia da FOB-USP, ocupando o cargo de Professor Titular, a partir de 1998. Concluiu o Doutorado em Reabilitação Oral na FOB-USP em 1977 e realizou programa de Pós-Doutorado na Universidade de Nova York, de 1983 a 1985. Sua brilhante trajetória como gestor na Universidade contempla a Vice-Chefia e Chefia do Departamento de Prótese e Periodontia, Vice-Presidência e Presidência da Comissão de Pós-Graduação, Vice-Diretoria e Diretoria da FOB-USP. Participa também como membro atuante em Conselhos e Comissões nos órgãos superiores da USP. Dentre a ampla produção científica, um dos seus grandes legados acadêmicos foi a organização do livro “Prótese fixa: bases para o planejamento em Reabilitação Oral” (Editora Artes Médicas),  adotado  na  maioria das instituições de ensino superior em Odontologia do país. Sua competência, habilidade clínica, capacidade administrativa e vocação docente são reconhecidas por graduandos, pós-graduandos, profissionais e docentes, o que faz do Dr. Pegoraro um verdadeiro ícone da Reabilitação Oral, tanto no Brasil como nos países latinos.

 Prova desta estima por seus pares está apresentada a seguir pelo colega de departamento Prof. Dr. Gerson Bonfante:

“Alto, magro, longilíneo, cabelos longos até os ombros, costeletas, calças boca de sino, estilo anos 70, assim o conheci como aluno. Jogador de futebol da várzea da região, era conhecido como Doná, goleiro disputado pelos times durante o campeonato.

Aparentemente tímido, mostrava-se loquaz e comunicativo assim que surgisse a oportunidade. Congregava os colegas ao seu redor e essa liderança rapidamente o tornou centro de atenção por sua preocupação com os detalhes, habilidade manual, concentração durante as atividades e interesse pelas questões administrativas discentes.

Como não podia deixar de ser, também os professores o perceberam. Numa época em que não existiam os concursos públicos para ingresso na carreira docente, a escolha era feita por meio da observação dos professores das diferentes áreas que notavam os alunos mais destacados do grupo, a destreza e habilidade manual de cada um, a aptidão para a disciplina em questão, o comportamento em classe e clínica, o relacionamento com os colegas e professores, a educação e o respeito no trato com as pessoas. Coisas importantes que os concursos públicos suprimiram alguns anos depois, eliminando os aspectos humanos, inobserváveis sem a convivência diária e restringindo a indicação exclusivamente aos méritos acadêmicos na disciplina objeto do concurso.

Indicado por professores que o orientaram, aceitou o convite e foi aceito para ingressar na carreira docente assim que se formou em 1973. Com entusiamo iniciou sua pós-graduação que incluiu o doutorado em 1977 e um pós-doutorado na New York University em 1985.

Manuais de “Preparo de dentes com finalidade protética”, “Enceramento PKT”, “Escultura Negativa” e “Introdução à Oclusão e ajuste oclusal” foram desenvolvidos com a sua colaboração, juntamente com a equipe de professores do departamento de Prótese, em uma época totalmente carente de acesso aos livros didáticos, geralmente de alto custo, em idioma estrangeiro, praticamente inacessíveis aos alunos, com Mercado editorial ausente ou quase na área de Odontologia. Esses livros eram “pirateados” por meios de cópias xerográficas sempre que possível.

Ao surgir o convite para elaborar um livro de Prótese Fixa, não hesitou um momento sequer. Organizou com alguns colegas do departamento o conteúdo dos capítulos, o desenvolvimento da parte escrita e ilustração e a publicação, atualmente na 2a edição, de um livro que foi adotado na maioria das faculdades do país para o ensino na graduação, pós-graduação e bem recebido pelos clínicos.

Professor Titular desde 1998, além da parte acadêmica, sempre mostrou aguçado tino administrativo. Chefia do Departamento, da Comissão de Pós-Graduação, vice-diretor e Diretor da FOB foram algumas atividades exercidas, sendo esta considerada uma das gestões mais profícuas dada a feliz conjunção do Diretor com a Reitoria da USP e com a situação econômica da universidade e do país.

Apesar de todas essas atividades destacou-se sempre como um dos que publicou dezenas de artigos científicos relevantes, frutos das suas linhas de pesquisa, que ostenta um dos mais altos Fator H do Departamento de Prótese e aquele que é mais frequentemente convidado para ministrar cursos em Congressos e Jornadas no país e exterior.

Falamos aqui do Prof. Dr. Luiz Fernando Pegoraro, merecedor de toda e qualquer homenagem que lhe seja feita, como esta do 30º COB.”

Criação de sites - Agência KR